Mapa 4.0

A presente pesquisa se propõe a atualizar os dados e identificar as Televisões Universitárias em funcionamento no país. A metodologia envolve pesquisa bibliográfica, busca na internet e questionário online.

 

O site
Este site foi desenvolvido com o financiamento da Universidade de Brasília (Edital DPI/UnB N° 04/2019) e o apoio da ABTU e do Observatório da Radiodifusão Pública na América Latina, da Faculdade de Comunicação da UnB (FAC/UnB).
 

Participe!

 

Envie sugestões,
dúvidas, críticas
e comentários:
mapatvu@gmail.com

 
open


Resultados gerais



Apresentamos alguns resultados do MAPA 4.0 das TVs Universitárias brasileiras. É importante ressalvar que os dados ainda estão em fase de coleta e análise dos dados, mas as informações já permitem traçar um cenário nacional e pensar conceitualmente a Televisão Universitária no país.

Vale frisar também que os dados foram obtidos por meio de buscas nos sites e nas redes sociais das TVUs e de suas IES e no portal do MEC (e-MEC), bem como a partir das respostas ao questionário online encaminhado às emissoras universitárias. Até o momento, 74 TVUs responderam ao formulário (39% do total de emissoras).

Estes são os resultados prévios de dez variáveis de análise da pesquisa:

IES brasileiras com TVU

1. Localização geográfica: Das 190 TVs Universitárias localizadas, 88 são da região Sudeste (46,3%), 39 da região Sul (20,5%), 37 da região Nordeste (19,4%), 14 da região Norte (7,3%) e 12 da região Centro-Oeste (6,3%). Percebe-se, portanto, que as TVUs concentram-se nas regiões Sudeste e Sul (67%), as quais possuem maior quantidade de IES. O total de TVUs representa um aumento de 26% em relação ao mapeamento anterior, quando foram registradas 151 emissoras universitárias.
A pesquisa identificou, ainda, 178 IES com TVU, uma vez que há instituições de ensino com mais de uma emissora universitária. Esse número corresponde a 7% do total de IES brasileiras - 2.448, conforme o Censo da Educação Superior de 2017.
2. Ano de inauguração: verifica-se que, a partir de 2011, houve um grande aumento de TVs Universitárias brasileiras veiculando produções audiovisuais apenas pela internet: 110. Nesse caso, registrou-se o ano de criação do canal no YouTube. Vale destacar que a TVU brasileira mais antiga é a TV Universitária de Pernambuco - TVU Recife, inaugurada no dia 22 de novembro de 1968.
grafico anos
ORGANIZAÇÃO das IES

Universidade

Centro universitário

Faculdade

Instituto federal
3. Estrutura institucional das IES: o levantamento aponta que a maior parte das TVs Universitárias está ligada a universidades: 120 (63%). Entretanto, em relação ao último mapa, percebe-se um aumento significativo de centros universitários (31), faculdades (23) e institutos federais (16) com TVUs: de 25% para 37%. Se antes as universidades tinham mais condições de arcar com os altos custos de uma televisão, agora instituições menores também podem fazer TV, utilizando especialmente recursos da internet.
CATEGORIA das IES

Pública federal

Pública estadual

Pública municipal

Privada com fins lucrativos

Privada sem fins lucrativos
Percebe-se, assim, um equilíbrio entre TVs Universitárias ligadas a IES do setor público de ensino (95) - públicas federal (61), estadual (28) e municipal (6) - e instituições do setor privado (95) - sem fins lucrativos (60) e com fins lucrativos (35).
4. Meios de transmissão: o levantamento revela que a totalidade das TVs Universitárias encontra-se na web – site e/ou mídias sociais digitais –, sendo que 107 (56%) atuam apenas na internet, como WebTVUs. Do total de TVUs (190), 68 transmitem por meio da TV a Cabo/assinatura, 33 veiculam pela TV aberta e cinco emissoras universitárias exibem também via circuito interno. Vale frisar que  22 TVUs transmitem tanto pela TV fechada quanto pela TV aberta. Todavia, o isolamento de grande parte das emissoras na TV paga restringe o alcance à sociedade, o que reforça a importância das mídias sociais como ferramentas multiplicadoras do alcance dos conteúdos produzidos. No Cabo, as TVUs operam dividindo espaço ou ocupam sozinhas o canal universitário, arcando com todos os custos operacionais. Interessante perceber a existência de TVUs operando também em circuito interno, como estratégia para promover a emissora junto ao público interno da instituição.
grafico meio7

WebTVUs
5. Mídias sociais: a pesquisa aponta que as TVs Universitárias têm investido no uso das novas mídias para cumprir a sua missão institucional e se aproximar do público. Foram localizados 190 canais no YouTube (100% das TVUs), 107 páginas do Facebook (56%), 89 do Instagram (47%) e 45 perfis no Twitter (24%). Além disso, o levantamento identificou que, do total de TVUs, 109 (57%) possuem site próprio. As emissoras universitárias utilizam essas plataformas online principalmente para postagem das produções audiovisuais e divulgações, bem como transmissões ao vivo (lives), com interações por meio de chat em tempo real e espaços de comentários dos usuários.


00 TVUs com site próprio
00 YouTube
00 Facebook
00 Instagram
00 Twitter
6. Fontes de financiamento: as respostas das 74 TVUs ao questionário online apontam que a maioria depende exclusivamente dos recursos da IES e/ou de suas mantenedoras (83%). Mesmo quando os recursos são provenientes do orçamento e de recursos gerados pela TV, a maior parte advém do orçamento. Esse pode ser considerado o maior problema para a sobrevivência das emissoras universitárias, em especial daquelas que operam via cabo/assinatura ou em TV aberta. Os dados reforçam que a captação de recursos externos não é ainda uma prática disseminada entre as TVs Universitárias brasileiras, em especial aquelas ligadas a IES públicas. Chama atenção o fato de quatro emissoras declararem não possuir orçamento; nesse caso, operam graças aos recursos gratuitos das mídias sociais digitais. Além disso, apenas uma emissora universitária declarou ser autossustentável. Entretanto, pelo menos seis emissoras ligadas a universidades privadas possuem orçamento expressivo. Estas TVUs contam com mantenedora, que auxilia na captação de recursos financeiros. Isso demonstra que nem todas as TVs Universitárias brasileiras sofrem com falta de investimento e reforça a importância de se buscar apoio institucional, bem como parcerias com o setor privado. Na luta por obtenção de recursos, algumas das emissoras valem-se das seguintes fontes alternativas: locação dos estúdios para produção, locação de horário para terceiros, venda de serviços, transmissão de eventos e emendas parlamentares para a aquisição de equipamentos.
Das 74 emissoras respondentes (39% do total de TVUs), 36 (49%) estão na região Sudeste, 15 (20%) no Sul, 15 (20%) no Nordeste, 6 (8%) no Centro-Oeste e 2 (3%) no Norte. Desse total, 21 estão em sinal aberto, 26 na TV fechada e 27 apenas na web. São majoritariamente universidades (80%), públicas (57%, sendo 34% federais, 19% estaduais e 4% municipais), subordinadas à direção central (Reitoria e Pró-Reitoria) (51%) e à mantenedora (13%).


74TVUs

TVUs respondentes ao questionário:


Canal IFPE, DOCTUM TV, FEMA TV, METODISTA WebTV, NIS UNIRIO, PUC TV Goiás, TV Acadêmica UNISAGRADO, TV ALFENAS, TV Caatinga, TV Campus UFSM, TV Facopp Online, TV FAG, TV Feevale, TV FIB, TV FUNORTE, TV IFPB, TV Inatel, TV NUPES, TV Olhos d'Água, TV Promove, TV PUC São Paulo, TV UEL, TV UEPB, TV Uerj, TV UESB, TV UESC, TV UFAM, TV UFERSA, TV UFES, TV UFG, TV UFMS, TV UFMT, TV UFOP, TV UFPB, TV UFS, TV UFSC, TV UFSJ, TV UNAERP, TV UNEB, TV UNESP, TV UNIARA, TV UNICAMP, TV UNIFAE, TV UNIFATEA, TV UNIFEV, TV UNIFOR, TV Unimep, TV UNISANTOS, TV Unitau, TV UNITOLEDO, TV Univali, TV UNIVAP, TV UNIVATES, TV USP Bauru, TV USP Piracicaba, TV Viçosa, TVFAESA, TVU RN, TVU Uberlândia, UEAP TV, UEG TV, UERN TV, UFNTV, UFPR TV, UFRB TV, UFRGS TV, UnBTV, UNESC TV, Unicruz Play, UNISC TV, UNISUL TV, Unitevê, UNIVALE TV e UPFTV.



100% orçamento da IES

Mantenedora

Orçamento e recursos
gerados pela TV

Sem orçamento
7. Equipes: das 74 TVs Universitárias, 23 (31%) dispõem de equipe mista para a produção de conteúdo, formada por docentes, funcionários e estudantes; 19 (26%) contam com funcionários e estudantes estagiários; 11 (15%) com terceirizados; 7 (10%) com docentes e estagiários; 4 (5%) com funcionários fixos; 4 (5%) com funcionários fixos e terceirizados; 2 (3%) com docentes, estudantes e comunidade acadêmica; 2 (3%) com funcionários, estudantes e comunidade; 1 (1%) com funcionários e estudantes voluntários e 1 (1%) com profissionais de TV e pesquisadores. A maioria das 74 TVUs respondentes ao questionário possui entre três e cinco funcionários fixos (45%), de seis a dez (21%) e de 11 a 20 (16%) empregados. Apenas duas emissoras universitárias possuem equipe formada por mais de 30 funcionários fixos. A falta de pessoal - funcionários e estagiários -, além das dificuldades financeiras, orçamentárias e estruturais e da falta de equipamentos, são as maiores limitações apontadas nas respostas do questionário.

00 Docentes, funcionários e estudantes
00 Estudantes estagiários e funcionários
00 Terceirizados
00 Docentes e estudantes estagiários
00 Funcionários fixos
00 Funcionários fixos e terceirizados
00 Docentes, estudantes e comunidade
00 Funcionários, estudantes e comunidade
00 Funcionários e estudantes voluntários
00 Profissionais de TV e pesquisadores
8. Conteúdos: entre os gêneros mais produzidos pelas 74 TVUs respondentes estão vídeos informativos (74), educativos (57), institucionais (51), de entretenimento (39), cobertura de eventos (36), revista eletrônica (13) e programas religiosos (5). A preferência pelos gêneros informativos, educativos e institucionais deve-se à missão da TV Universitária de divulgar à sociedade o ensino, a pesquisa e a extensão produzidos pela instituição de ensino. Dessa forma, a totalidade dessas emissoras afirma produzir conteúdos informativos - quatro delas dedicam-se apenas a esse gênero -, incluindo entrevistas, telejornais, boletins, dicas, reportagens e entrevistas, com foco na divulgação científica. Os programas educativos são, geralmente, temáticos, instrucionais, palestras e painéis. Já os programas de entretenimento envolvem arte e cultura, tais como: musicais, programas de esporte, talk show e videoclipes. Interessante observar que a maioria dessas TVUs aponta os gêneros informativos, institucionais e educativos como aqueles que fazem de melhor.


00 Informativo
00 Educativo
00 Institucional
00 Entretenimento
00 Cobertura de eventos
00 Revista eletrônica
00 Religioso
9. Afiliações: trinta e quatro (46%) dessas TVUs são afiliadas a alguma entidade nacional ou regional, sendo as principais a ABTU, 23; a TV Brasil, 5; a TV Cultura, 2; o Canal Futura, 2 e a Associação Brasileira das Emissoras Públicas, Educativas e Culturais - ABEPEC. Outras associações que reúnem pelo menos uma dessas emissoras universitárias respondentes são a Rede Nacional de Televisão Pública - RNTV, a Associação Catarinense de Emissoras de Rádio e Televisão - ACAERT e a Associação Brasileira de Emissoras de Rádio e Televisão - ABERT.

00 ABTU
00 TV Brasil
00 TV Cultura
00 ABEPEC
00 ABTU e ABERT
00 Canal Futura e TV Brasil
00 Canal Futura
00 ACAERT
00 RNTV
10. Redes e relações: do total de TVUs respondentes, 40 (54%) afirmaram fazer parte de alguma rede de intercâmbio nacional entre emissoras de televisão para a troca de conteúdos, sendo as principais o Canal Futura, a rede RITU/ABTU, a rede Prosa e o Programa de Apoio ao Desenvolvimento do Audiovisual Brasileiro - PRODAV. Já em âmbito internacional, apenas dez (13,5%) participam de redes de intercâmbio, tais como a Asociación de las Televisiones Educativas y Culturales Iberoamericanas - ATEI e a Global Campus of Human Rights, além de acordos com outros países para recepção e envio de estudantes intercambistas. As produções das TVUs são veiculadas em diversas emissoras parceiras, tanto em nível regional quanto nacional. Das emissoras respondentes, 40 (54%) exibem programas fora da própria TV, principalmente em outras TVUs, em redes estaduais, na TV Brasil e no Canal Futura. A ocupação de espaço na grade dessas emissoras consagradas, em sinal aberto, comprova o nível profissional das produções universitárias.

tvu reg CO

REALIZAÇÃO:

 

abtu        unb logo